Aumento de impostos pune o trabalhador

Aumento de impostos pune o trabalhador

Confesso que escrevo esse texto com o estômago, no calor da absurda medida provisória publicada pelo Governo. Para as empresas de TI & TIC, que pagam para o INSS 2% de imposto sobre a folha de pagamento, passarão a pagar absurdos 4,5%. Pra você, que não é empresário e não compreende a complexidade do sistema de impostos do Brasil (carinhosamente apelidado de manicômio tributário), o aumento parece pouco. Afinal é um percentual muito pequeno do faturamento. Infelizmente a realidade está longe disso.

Primeiro vamos aos esclarecimentos: essa desoneração fiscal não foi bem uma desoneração. Ela só tentou dar um caráter mais justo à arrecadação ao tratar do valor que a empresa fatura e não do que o funcionário ganha. Contudo, em termos práticos, significou praticamente a mesma coisa. Para uma pequena e média empresa que pagava, digamos, 10, passou a pagar 9. O que conta para o empresário é o valor que vem na GPS, e esse mudou pouco.

Agora vem a notícia que é sim realidade: esse custo vai aumentar mais de 100%. Vamos supor que hoje você pague R$ 1.000,00 na escola do seu filho e ela anuncie que vai cobrar R$ 2.250,00. Foi exatamente isso que o aumento significou. E ele dói ainda mais porque afeta a parte mais frágil de toda a cadeia, que é o faturamento da empresa. Qualquer empresa de serviços, que é o caso da esmagadora maioria das empresas de TI & TIC, o único custo é a mão de obra do funcionário. Isso significa que pra você ganhar mais tem que contratar mais gente, de maneira resumida. Sem contratar mais gente não pode haver aumento de faturamento, que por sua vez será ainda mais onerado por esse imposto.

Para facilitar ainda mais a matemática, vou utilizar o exemplo de nossa empresa. Temos em torno de 30 funcionários, e só quem é empresário sabe o que é passar o mês inteiro se preocupando com 30 famílias sob sua responsabilidade. Agora imagine que você paga 10 unidades de impostos sobre o faturamento para pagar essa folha e, sem aumentar o faturamento ou adquirir nenhum outro contrato, você passe a pagar 22,5 unidades. Como você faz para conseguir pagar esse aumento? Não tem outra solução que não seja demitir. Nossa primeira estimativa é ter que reduzir a força de trabalho em torno de 10% para conseguir pagar esse “pequeno” aumento de impostos.

Aí você deve estar pensando: mas o que são 10%? Tão pouquinho, né? Em termos práticos, significa que dos 30 funcionários mais ou menos 3 perderão o emprego por causa da medida. Você acha isso pouco? Tenho certeza que essas 3 famílias não acham.

Se você se preocupa com essas famílias ainda existe a chance de não ser tarde demais. O Congresso Nacional tem a força de derrubar essa Medida Provisória, então por favor incomode seu Deputado. Já falei mil vezes do ativismo em complementação ao ciberativismo, e esse é o momento de exercer seu direito democrático de cobrar do Deputado que você votou. Sim, o Governo é do PT, mas não importa o seu partido: todos têm direito a voto no Congresso. Se fizermos uma mobilização grande para derrubar essa medida que envolva todos os partidos temos mais chances de ganhar.

Nesse ponto a tecnologia trabalha a nosso favor: é possível enviar uma mensagem diretamente para seu Deputado através do site da Câmara. Estou fazendo isso nesse exato momento, e conto com a sua ajuda para evitarmos que essa absurda medida entre em vigor.

0saves


Se você gostou desse post, deixe um comentário ou inscreva-se no feed RSS para ter todas os posts enviados para o seu agregador preferido.

Author Description

Eduardo Santos

Mestre em Computação Aplicada pela Universidade de Brasília (UnB), Tecnologista na Agência Espacial Brasileira, professor do Uniceub e cientista de dados (data scientist).

There are 1 comments. Add yours

  1. Pingback: Eduardo F. Santos - Aumento de impostos pune o trabalhador 27 de February de 2015

    […] By Eduardo Santos […]

Leave a Reply

Twitter

Subscribe to Blog via Email

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Join 504 other subscribers

Alguns direitos reservados

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.