A China é aqui – Phormando um monopólio

Ainda um pouco atordoado com a briga Google x China, que aliás vem esquentando bastante (veja mais um round aqui), eis que recebo do @cesaraovivo a seguinte notícia: http://tecnologia.ig.com.br/noticia/2010/03/25/nova+ferramenta+cria+a+navegacao+personalizada+9439913.html

Desconfiado como sou e alertado por ele, começo a me perguntar como a tal empresa poderia desenvolver uma tecnologia tão inteligente. Pesquiso um pouco e descubro esse post em seu blog. Recomendo a leitura até o final e a leitura de todos os links indicados. Sim, como eu desconfiava, trata-se de mais uma estratégia no mínimo perigosa para utilização dos dados pessoais do usuário.

O que a tal empresa faz é aplicar um algoritmo, que a princípio é bastante inteligente, de identificação de perfis de acesso baseado na navegação do usuário. Me parece que ele é capaz de identificar e categorizar todas as URL’s visitadas, para então fornecer a empresas de mídia a garantia de um anúncio “eficiente”, pois, como mapearam toda a sua vida na Internet, são capazes de dizer exatamente do que você gosta. Como quase tudo na tecnologia, parece uma ideia genial, mas a pergunta que esqueceram-se de fazer é: eles terão acesso a todo o meu histórico de navegação? Para responder a essa pergunta, leia a reportagem do The Register britânico (em inglês), onde a empresa começou e teve problemas com a legislação de respeito à privacidade, que tenta “dissecar” os pormenores da tal tecnologia.

Uma frase me chamou muito a atenção dentro de tudo o que eles disseram, e gostaria de compartilhá-la com vocês:

Net think tank: Phorm is illegal
The Foundation for Information Policy Research (FIPR), a leading government advisory group on internet issues, has written to the Information Commissioner arguing that Phorm’s ad targeting system is illegal.

Para quem não fala inglês (já disse, por mais que eu não goste, nessa profissão tem que saber) um resumo objetivo: “Phorm é ilegal”. Simples assim. Você sabe o que é um spyware? É aquele “negocinho” que invade a sua máquina para roubar informações, muito comum em usuários de Windows, e tenta ser impedido pelos bons programas anti-vírus. Pois essa é exatamente a definição que eles utilizam para o software da Phorm.

Você deve entender então o que eles estão fazendo no Brasil, e o Cesar também disse no link que coloquei acima, mas a notícia causa estranheza ao pessoal de fora do Brasil que entender de informática e conhece a história. Veja aqui. Afinal de contas – devem ter pensado os executivos da Phorm – o Brasil é um país sem lei, e dinheiro abre as portas muito mais facilmente. Eis que a empresa aparece aqui com não apenas um, mas 5 (sim CINCO) acordos com provedores locais.

Já tenho falado sobre a questão da privacidade há bastante tempo, e nos arquivos do blog é possível encontrar bastante material sobre o assunto, principalmente na tag liberdade aí ao lado, então já devem saber a minha opinião. A única coisa que faltou ser dita aqui é que a Phorm faz exatamente a mesma coisa que faz o Google (já estou falando neles novamente. Vou tentar parar…). Sim o Google, nosso amigo bondoso, ou Amigoogle para os íntimos, que é tão respeitado e nunca antes questionado, tirando é claro pela ousada China. A principal diferença, entretanto, se dá pela maneira com a qual as informações são coletadas: enquanto o Google só coleta as informações que você insere em seus serviços (ou seja, tudo) o pessoal da Phorm tem acesso a todo o seu histórico de navegação sem que você saiba.

Veja, o problema, para os órgãos de controle, não é o fato de a empresa ter acesso às suas informações, e sim você não saber disso. Agora eu recomendo fortemente que você leia os termos de serviço do Google e do Orkut. Reflita se há tanta diferença assim. Na verdade, o grande problema é que ninguém lê nada, ou se lê não tem capacidade de entender. Sim, também já escrevi sobre isso aqui, e há um material mais extenso na área de publicações aqui do Blog. Mas o assunto hoje não é o Google, e sim a Phorm.

Para evitar o seu trabalho de ler os termos do tal serviço Navegador, vou tentar fazer aqui um resumo do que eles prometem fazer e não fazer. A reportagem alega que protege a identidade do usuário fornecendo um identificador único a cada acesso, e escondendo dados sobre o seu IP. Então eu te pergunto: se eu disser a alguém que conheço uma pessoa que tem conta no banco tal, trabalha na empresa tal, costuma realizar os acessos tais e tais em tais horas, ou que tem tal conta em rede social X, não dá pra identificar quem é? Com o poder consolidador das bases de usuários e e-mails que são vendidas no Mercado, chega a ser trivial cruzar as informações, principalmente para uma empresa que tem tanta “inteligência” computacional. Por isso, FUJA DOS PROVEDORES QUE ASSINARAM COM A PHORM. O problema no Brasil é que normalmente não há tantas opções assim de provedor, e não há como simplesmente mudar. Então faça barulho, reclame, divulgue, mande um e-mail para o seu deputado, enfim, se mexa, pois foi assim que eles conseguiram derrubar a empresa no Reino Unido. Mobilização popular e imprensa desmascararam e o Mercado fez o resto.

Obs.: (também já feita pelo Cesar) Por que os outros se calaram? Onde estão Estadão, UOL, enfim, os outros, que sequer se manifestaram? Será que eles iam simplesmente vender seus dados sem sequer te avisar? Acredito que muito provavelmente a resposta é sim.

0saves


Se você gostou desse post, deixe um comentário ou inscreva-se no feed RSS para ter todas os posts enviados para o seu agregador preferido.

Author Description

Eduardo Santos

Mestre em Computação Aplicada pela Universidade de Brasília (UnB), Tecnologista na Agência Espacial Brasileira, professor do Uniceub e cientista de dados (data scientist).

There are 9 comments. Add yours

  1. 27th março 2010 | Pete says:
    Forgive me posting in English. You can stop Phorm. The single most effective action you can take is moving your ISP account to a trustworthy company, before any launch. Also complain to your politicians, regulators, police, and prosecutors... on paper. Without action, ISPs using Phorm will violate your right to privacy/security/integrity of your communications, allowing Phorm to construct a unique personal profile. If your business publishes a web site, think about the copyright/trademark implications; Phorm will be duplicating your intellectual property without licence, processing it, and using it to sell commercial intelligence to your competitors. Phorm strips businesses of their customers and revenue. If you need information about Phorm, join us at https://nodpi.org or http://www.badphorm.co.uk. Sir Tim Berners Lee's notes; http://www.w3.org/DesignIssues/NoSnooping.html Phorm/Navigador/Webwise information; http://www.inphormationdesk.org/ http://www.donottrustwebwise.org/ http://www.iswebwiselegal.com/ Steve Gibson Podcast on Phorm; http://www.grc.com/sn/sn-151.htm Phorm countermeasures; https://www.dephormation.org.uk/ Good luck! You don't have to tolerate this scam. And perhaps most important: know that you're not alone fighting these spyware crooks, and the untrustworthy ISPs that partner with them.
  2. Pingback: Phorm Turns Up In Brazil « View From Planet Jamie 27 de março de 2010

    […] In Brazil word is starting to spread about Phorm’s previous history (translation here) in spyware and the backlash against Phorm here in the UK.  Phorm just don’t understand that privacy is an issue for people all over the world.  Or they just don’t care. […]

  3. 27th março 2010 | Eduardo Santos says:
    Hi Pete, Don't worry about posting it in English. I can use this language as well. Maybe I' should post again my opinions in English? Thank you very much for the warnings. I totally agree with you and I'll spread the links you've sent to me. They're all very helpfull. However, we have a problem in Brasil that's not too easy to solve: there aren't as many ISP's as there are in UK and other countries. You see, the major companies split the country territory in regions, and there are only a few places where you have more than one option as ISP. In the most competitive place in the country (São Paulo) we have about 5 options only, wich is not too much, and they're facing problems with service availability (take a look at the twitter users complains here). That's why people are more important in Brasil than in other places. As we have a monopoly or only a few companies in communicatios, they can just make us use it and we will have no other choice. So, we really need to mobilize in order to stop Phorm Anyways, thank you very much for your post and the tips. You will be very welcome at any time.
  4. 27th março 2010 | Lucy Rochester says:
    Learn more about Phorm from Wikipedia :) http://en.wikipedia.org/wiki/Phorm Ther you find many interesting insights into the man at the top Kent Ertugrul and the wrong things that Phorm did in the UK Phorm in the UK was probably only able to get started due to corruption, probably in Government, agencies and at Internet Service Providers like BT plc, Virgin Media and TalkTalk (Carphone Warehouse). Brazil people need to do same as the British and fight back to stop Phorm. I was a member of a UK Facebook group which had lots of informations about the bad company Phorm and Webwise which I think is also called Qook SmartWeb, Webwise Discover, Discovery and now Navigator for the Brazil customers. Navigator will be spying on customer privacy before you can believe it and Kent Ertugrul and his associates will try to make money fom selling what they learn about YOU. Good luck fighting off Phorm. They play dirty tricks to try and overcome the truth, so you will need your wits about you. Search the internet for StopPhoulPlay.com... It is the story of how ugly the fight got in the UK. The public did not like what BT plc, TalkTalk or VirginMedia wanted to do (to spy on their customers' private communication and make money out of doing so) So the public engaged against the ISPs and against the Phorm company. Result: Phorm created stopphoulplay.com And it was a big mistake. It rally made things much worse and showed them to be so stupid. A few links: http://www.whatdotheyknow.com/request/downing_street_petition_website http://blog.planetjamie.co.uk/blog/?p=649 http://www.bbc.co.uk/blogs/technology/2009/04/phorm_hoping_to_stop_phoul_pla.html Good luck amigos!! :) Lucy
  5. 27th março 2010 | Eduardo Santos says:
    Hi Lucy, Thank you for your comment. I'll write another post with all the information you guys gave me, and maybe try to start a campaign against them. No Phorm in Brasil!
  6. 29th março 2010 | sam says:
    I recommend all Brazil engage urgently to stop Phorm. Say No To Phorm Now. It worked in the UK and the Brazil people can win against this company and their evil system. Keep privacy for communication. No spyware from 121Media or Phorm. Stop Phorm. Ban people who might have Navigador running from your website. Stop Phorm.
  7. 7th junho 2010 | Washington says:
    Post engraçado. Até parece que os provedores não sabem de tudo que fazemos. Não somos nada mais nada menos do que "terminais burros", digamos. Quem está no controle é o servidor, no caso, o Velox. Quem está lá, pode ter acesso ao que quiser.
  8. 13th julho 2010 | Eduardo Santos says:
    Olá Washington, A sua informação é, em grande parte, verdadeira. De fato eles têm acesso à nossa navegação, mas o grande perigo aqui é agregar inteligência artificial na análise da nossa navegação. Enquanto o dado está lá e ninguém faz nada com ele, temos sim um problema, mas menor. O que eles estão fazendo é vendendo os nossos dados, aplicando inteligência artificial, e lucrando em cima disso. Aí está o problema pra mim. Obrigado pelo comentário. Abraços
  9. Pingback: Os números de 2010 « Eduardo Santos 3 de janeiro de 2011

    […] A China é aqui – Phormando um monopólio março, 2010 8 comentários […]

Deixe uma resposta

Twitter

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 504 outros assinantes

Alguns direitos reservados

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.